O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse neste sábado (9) que a energia foi restabelecida em algumas regiões, após um apagão que afetou todos os 23 Estados do país. Ele também voltou a acusar a oposição pelo que chama de "sabotagem" ao sistema.

"A região Oeste do país foi a primeira que recuperamos da sabotagem. Logo depois, vieram parte da capital e do Leste. Não poderão com nós", disse o presidente, em uma marcha em Caracas, convocada contra a oposição.

O ato, chamado de "Venezuela Anti-imperialista", foi transmitido pelas TVs oficiais, que ignoraram a manifestação contrária a Maduro liderada pelo opositor Juan Guaidó, autodeclarado presidente interino do país.

Maduro disse ainda que os "ataques ao setor elétrico foram feitos com alta tecnologia". "Estamos realizando o processo de reconexão do sistema e espero que ele fique estável para o país todo", afirmou.

Ao som de aplausos, o presidente venezuelano disse também que o país está no caminho da paz e da recuperação econômica. "Estamos em um momento complexo, trabalhando intensamente para superar grandes provas com muita coragem revolucionária, lealdade e união. Somos portadores da segurança, da paz e somos nós que garantimos a resistência da nossa pátria", afirmou.