MIAMI - Equipes de resgate mantinham os esforços iniciados na terça-feira (5) para salvar mais de 40 baleias encalhadas em águas rasas de uma região remota em frente à costa do Golfo da Flórida, informaram autoridades.

Socorristas retomaram nesta madrugada os trabalhos para tentar ajudar as baleias a se dirigir para o alto-mar, em uma região de difícil acesso, nadando em águas muito pouco profundas do Condado de Monroe, no sul da Flórida, afirmou Linda Friar, porta-voz do Parque Nacional dos Everglades à imprensa da região central do estado.

Estas baleias "têm que estar em águas profundas com a finalidade de alimentar. Se não conseguirmos tirá-las, podem começar a morrer de fome", acrescentou Friar.

Dez baleias morreram e 41 estão vivas desde que as autoridades receberam o primeiro alerta nesta terça-feira, informou na quarta a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA).

"Queremos manter as expectativas baixas", afirmou Blair Mase, porta-voz da NOAA ao reconhecer que estão em uma corrida contra o tempo.

Os animais são baleias-piloto que encalharam por razões desconhecidas nesta região do Parque Nacional Everglades, supostamente na terça, quando as autoridades receberam um telefonema dessa área.

Howard Garrett, fundador da organização protetora dos animais OrcaNetwork, disse em entrevista à emissora CNN que "é muito difícil que as baleias sobrevivam nestas condições".

Segundo esse especialista, há várias razões que poderiam ter levado este grupo de animais a perder o caminho: elas podem ter ficado assustadas com alguma explosão marítima ou teriam sofrido doenças ou transtornos provocados pela contaminação ambiental que as levou a tirar a própria vida.

Os porta-vozes da NOAA, que conduz os trabalhos de resgate, tentarão divulgar um novo balanço na tarde desta quinta.

O Parque Nacional Everglades, conhecido como o habitat dos famosos jacarés da Flórida, tem extensão de 6.104 quilômetros quadrados. É uma área alagada em um ecossistema único no mundo.