LIMA - Quatrocentos golfinhos apareceram mortos em praias do norte do Peru durante o mês de janeiro por causas desconhecidas no momento, informaram nesta terça-feira (4) o Instituto do Mar do Peru (IMARPE) e uma ONG defensora das espécies marinhas.
 
As carcaças dos mamíferos apareceram em uma ampla extensão de praias situadas nos departamentos (estados) de Piura e Lambayeque (norte), disse à AFP Jaime de la Cruz, encarregada do IMARPE na cidade de Chiclayo, 760 km ao norte de Lima, capital de Lambayeque.
 
Amostras das vísceras dos cetáceos foram enviadas à sede central do IMARPE em Lima para as análises correspondentes e determinar as razões da mortandade dos animais, acrescentou o funcionário.
 
O aparecimento dos golfinhos mortos gerou preocupação em Carlos Yaipén, veterinário especializado em animais marinhos, diretor da ONG Organização Científica para a Conservação de Animais Aquáticos (ORCA).
 
"Poderíamos estar (vivendo) a repetição do que aconteceu em 2012, quando morreram 836 golfinhos em praias do norte", disse Yaipén à AFP ao destacar que, por enquanto, não se pode determinar as causas das mortes.
 
Versões iniciais indicariam que a causa seria uma alga tóxica, mas Yaipén destacou que esta possibilidade "não tem base científica" porque se esta fosse a razão, haveria humanos afetados que se alimentam das espécies marinhas na região.
 
Yaipén não descartou que as causas podem ser a consequência do "impacto acústico de explorações próximas", que realizam entre três e quatro empresas de petróleo na região.
 
A ORCA iniciou as pesquisas e enviará amostras dos mamíferos a entidades especializadas do exterior para determinar as causas das mortes.