Mais quatro primárias colocam a liderança de Trump e Clinton à prova nos EUA

AFP
08/03/2016 às 10:44.
Atualizado em 16/11/2021 às 01:43
 (AFP)

(AFP)

Terça-feira é dia de primárias nos Estados Unidos: os eleitores de quatro estados vão às urnas para confirmar ou frear a hegemonia de Donald Trump do lado republicano, enquanto o democrata Hillary Clinton espera aumentar a sua liderança frente a Bernie Sanders.

A situação evolui rapidamente na corrida pelas primárias republicanas. A cada semana, Donald Trump, de 69 anos, fortalece-se, com 12 vitórias em 20, obtendo a maioria dos delegados em diferentes regiões como o nordeste ou o sul.

Mas, logo atrás, o senador do Texas Ted Cruz, de 45 anos, campeão da direita religiosa, tem se mostrado competitivo no Texas e estados vizinhos. Os anti-Trump, que o consideram muito intransigente para unir o partido, hesitam em apoiá-lo em detrimento do senador da Flórida Marco Rubio, de 44 anos, em terceiro lugar na disputa, que aposta a sua sobrevivência na Flórida na próxima semana.

O calvário chegou na forma de spots eleitorais, retratando Donald Trump como um charlatão, uma campanha publicitária financiada por republicanos consternados com o fato de o homem que uma vez flertou com o Partido Democrata possa usar as cores conservadoras na eleição presidencial em novembro.

Um deles, veiculado na Flórida, compila os palavrões proferidos por Donald Trump durante a campanha. Financiada pela organização American Future Fund, que não revela seus doadores, a campanha custou vários milhões de dólares, de acordo com seu porta-voz Stuart Roy, uma quantidade substancial.

Illinois

Outras peças publicitárias, criadas pela organização Club for Growth, têm como alvos os republicanos de Illinois. "Ele realmente nos trata como idiotas", diz o narrador. Illinois, Flórida e outros estados votarão em 15 de março em uma nova "Super Terça". Sentindo-se ameaçado, Donald Trump anunciou o lançamento de uma campanha publicitária própria na Flórida contra Marco Rubio, o senador local.

A propaganda, muito virulenta, chama o candidato de "corrupto", recordando um caso antigo de cartões de crédito. Se derrotado em seu próprio estado, Marco Rubio poderia ser forçado a jogar a toalha. "O pequeno Marco, nunca o vemos no Senado", declarou Donald Trump na segunda-feira em um comício na Carolina do Norte, onde mais uma vez pediu para que os eleitores votem nele.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por