A Nasa revelou, nesta segunda-feira (26), a descoberta de água na superfície iluminada da Lua. O achado indica que a água pode ser distribuída pela superfície lunar e não limitada a lugares frios e sombreados. As informações são do Observatório Estratosférico de Astronomia Infravermelha da Nasa (Sofia).

“Tínhamos indicações de que a água familiar que conhecemos poderia estar presente do lado ensolarado da Lua”, afirmou o diretor da Divisão de Astrofísica do Diretório de Missões Científicas da sede da Nasa em Washington, Paul Hertz. “Agora sabemos que está lá. Esta descoberta desafia nossa compreensão da superfície lunar e levanta questões intrigantes sobre recursos relevantes para a exploração do espaço profundo", completou.

lua

Ilustração mostra a cratera Clavius e uma imagem do Observatório Estratosférico para Astronomia Infravermelha da NASA (SOFIA), que encontrou água em área iluminada pelo Sol

Como comparação, o deserto do Saara tem 100 vezes a quantidade de água que o Sofia detectou em solo lunar. Apesar das pequenas quantidades, a descoberta levanta novas questões sobre como a água é criada e como persiste na superfície lunar áspera e sem ar.

Assista ao vídeo (em inglês):

*Com informações da Nasa