O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, anunciou neste sábado que o Boko Haram foi finalmente derrotado, com os combatentes expulsos do último reduto do grupo extremista, na floresta de Sambisa, e sem ter onde se esconder.

O pronunciamento vitorioso acontece enquanto o Estado Islâmico, do qual uma facção do Boko Haram é aliada, assumiu responsabilidade por um ataque a quartéis do exército no Estado de Yobe, na Nigéria, que "matou e feriu muitas pessoas", segundo uma divulgação oficial do grupo terrorista. O comunicado foi emitido na quinta-feira.

O ataque é um indício de que, apesar da comemoração de Buhari, é improvável que a Nigéria veja o fim dos atentados suicidas e ataques a vilarejos tão cedo. Já existem relatos de que insurgentes estão se agrupando nos Estados de Taraba e Bauchi, ao sul da floresta.

Em depoimento, Buhari elogia as tropas nigerianas por "finalmente entrar e destruir o resto dos insurgentes do Boko Haram no Acampamento Zero". Em seguida, ele anunciou "a muito esperada e gratificante notícia da execução final dos terroristas do Boko Haram no seu último enclave".

A floresta de Sambisa é onde acredita-se que o Boko Haram esteja mantendo o resto das estudantes sequestradas de uma escola na cidade de Chibok em 2014. Desde o sequestro, algumas meninas conseguiram escapar do cativeiro e informaram que muitas morreram por causa de malária e mordida de cobra. O presidente pediu que as tropas intensifiquem os esforços para "localizar e libertar nossas meninas de Chibok que ainda estão em cativeiro".

Fonte: Associated Press.