A polícia de Nova Iorque anunciou hoje (13) que foram ativados vários protocolos antiterroristas na cidade como medida de precaução depois dos atentados terroristas que deixaram mais de 100 mortos em Paris.

Em comunicado, o gabinete antiterrorista do departamento da polícia destacou vários dos grupos de resposta crítica, assim como para as áreas mais movimentadas da cidade, assim como proteção adicional para as instalações do governo francês naquela cidade.

Apesar das medidas acionadas pela polícia de Nova Iorque, as autoridades norte-americanas indicaram que, no momento, não há indícios de que o ataque na capital francesa possa ter qualquer vínculo com Nova Iorque.

Já o governo espanhol vai analisar no sábado (14) a necessidade de elevar o alerta antiterrorista para o nível máximo. A Espanha está atualmente no nível 4 de alerta (numa escala que vai até cinco). O governo de Mariano Rajoy tinha elevado o alerta para o nível atual após os atentados jihadistas de junho na França, Tunísia, Kuwait e Somália. O nível 4 indica um "risco alto de atentado" e pressupõe um maior controle policial, incluindo o policiamento de infraestruturas consideradas críticas.

De acordo com o Ministério do Interior da Espanha, o ministro Jorge Fernández Díaz convocou para hoje uma reunião da Comissão de Avaliação da Ameaça Terrorista. No início do mês, a polícia espanhola deteve três marroquinos residentes em Madrid, alegadamente vinculados ao Estado Islâmico, suspeitos de estarem preparando atentados terroristas em território espanhol.

Desde o início do ano, a polícia espanhola já deteve mais de 90 suspeitos jihadistas (mais de 60 em território espanhol e pelo menos 27 em outros países). O número de jihadistas detidos pelas autoridades espanholas desde os atentados de 11 de março de 2004 na estação de Atocha, em Madrid, é de cerca de 590.

O presidente francês, François Hollande, já anunciou o estado de emergência e o encerramento das fronteiras de França na sequência do que classificou de "ataques terroristas sem precedentes" no país.