A agência para a infância da ONU (Organização das Nações Unidas) diz que 137 crianças estão presas em um subúrbio que está nas mãos de rebeldes perto da capital da Síria e requerem evacuação médica imediata, em meio a um cerco em que cinco morreram por falta de cuidados médicos.

A Unicef informou em um comunicado domingo que em um comboio de ajuda internacional para um bairro no distrito de Ghouta, ao final de novembro, trabalhadores humanitários descreveram uma das piores situações de doença e nutrição, desde que o conflito começou em 2011.

Segundo a Unicef, 137 crianças, com idade entre 7 meses e 17 anos, requerem imediata evacuação médica para condições que incluem insuficiência renal, desnutrição e feridas. Ghouta Oriental, lar de 400 mil habitantes, é palco de um cerco desde 2013.

Leia mais:

Iraque: Guerra contra Estado Islâmico 'está encerrada', diz general

ONU quer recorde de US$ 22,5 bilhões para ajuda humanitária em 2018

Trump é criticado por retuitar vídeos antimuçulmanos