O escritório das Nações Unidas em Genebra afirmou que recebeu novas informações do Iraque, de que o Estado Islâmico estava executando assassinatos em massa em Mossul em meio a uma ofensiva para retomar a cidade do grupo terrorista. A porta-voz da ONU, Ravina Shamdasani, disse que o Estado Islâmico teria matado 50 de seus próprios militantes na base militar de Ghazlani, por "alegada deserção". Shamdasani também afirmou seu escritório também recebeu relatórios indicando que quatro mulheres foram mortas e 17 civis ficaram feridos devido a ataques aéreos no leste da cidade.