Especialistas de direitos humanos da ONU pediram que autoridades britânicas permitam que o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, deixe a Embaixada do Equador em Londres sem ser preso ou extraditado.

Para o Grupo de Trabalho sobre Detenção Arbitrária da ONU, Assange está ilegalmente detido sem acusação na embaixada, onde vive há mais de seis anos.

O Reino Unido diz que ele será preso por violar as condições da fiança se deixar o local, mas a sentença não será superior a seis meses.


As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.