ASUNCIÓN - O governo do Paraguai manifestou nesta segunda-feira (16), pela primeira vez, seu apoio para que a Bolívia se transforme em membro pleno do Mercosul, que solicitou sua adesão na cúpula regional de dezembro de 2012 quando Assunção estava suspensa do bloco.
 
"O Paraguai quer que a Bolívia entre no Mercosul. Não podemos nos opor. É um membro muito importante do bloco", disse a jornalistas o ministro das Relações Exteriores, Eladio Lozaiga, no Palácio do Governo.
 
Loizaga pediu para "recuperar o tempo perdido" após o isolamento regional que o Paraguai sofreu depois que o Congresso destituiu o então presidente Fernando Lugo em junho de 2012.
 
Inúmeros Estados retiraram seus embaixadores como sinal de protesto, entre eles os países membros do Mercosul - Argentina, Brasil e Uruguai -, que por sua vez decidiram suspender o Paraguai do bloco e aceitar a Venezuela. 
 
"O Mercosul tem suas normas para a ampliação (de sócios) e isso, com certeza, oportunamente será considerado", explicou o ministro.
 
Para que um Estado se transforme um membro pleno, o Parlamento de cada país do Mercosul deve aprovar sua entrada. "Temos projetos grandes a desenvolver. O Parlamento decide, mas a vontade política, quanto a relações exteriores, é que a Bolívia entre no bloco. É um aliado importante para nós", disse.