Foi cremado nesta sexta-feira (3) o corpo do britânico Ronald Biggs, conhecido como o "ladrão do século" por sua participação no assalto em 1963 ao trem pagador que ia de Glasgow a Londres. 
 
Biggs, que viveu cerca de 30 anos foragido no Brasil, morreu no dia 18 de dezembro em um asilo para idosos depois de sofrer sete derrames. A cerimônia de cremação ocorreu em Londres, no Golders Green Crematorium, e contou com a presença de 13 membros de um clube de motoqueiros. O caixão levava, entre outras coisas, uma bandeira do Brasil. 
 
O assalto ao trem pagador ocorreu em 8 de agosto de 1963, quando uma quadrilha interceptou um trem que carregava dinheiro para os bancos de Londres. Preso e condenado na época do roubo a 30 anos de prisão, Biggs ficou só 15 meses numa cadeia de segurança máxima. Fugiu, passou por Paris, Austrália, e em 1970 desembarcou nas praias do Rio. 
 
A saúde debilitada e a falta de dinheiro levaram Biggs a se entregar ao Reino Unido em 2001. A viagem foi feita em um avião particular fretado pelo tabloide britânico "The Sun". Biggs foi detido assim que chegou. Em 2009, muito doente, foi libertado.