Um segundo tiroteio em menos de 24 horas nos Estados Unidos faz mais vítimas. Nove pessoas foram mortas e ao menos 16 ficaram feridas em Ohio, segundo a agência Associated Press (AP). 

De acordo com relatos da polícia da cidade de Dayton, a ação do atirador começou no distrito de Oregon por volta de 1h da manhã deste domingo (4). Oficiais que estavam perto do local conseguiram chegar rapidamente. O tenente-coronel Matt Carper afirmou, em entrevista coletiva, afirmou que o suspeito foi alvejado e morreu.

A polícia disse acreditar que havia apenas um atirador e ainda não identificou o suspeito ou um motivo para a ação. Carper disse que o suspeito usou uma arma longa e disparou várias vezes.

A porta-voz do Hospital de Miami Valley, Terrea Little, afirmou que 16 vítimas foram recebidas no hospital, mas não informou as condições. A porta-voz da Kettering Health Network, Elizabeth Long, disse que várias vítimas de um tiroteio foram levadas para hospitais do sistema, mas não revelou um número.

Com uma população de cerca de 140 mil habitantes, Dayton fica no oeste de Ohio. O distrito de Oregon é um bairro histórico que Carper descreveu como "uma parte segura do centro", onde estão instaladas opções de entretenimento, incluindo bares, restaurantes e teatros. "Isso é extremamente incomum, obviamente, para qualquer comunidade, quanto mais para Dayton", disse Carper. "No nosso distrito de Oregon, isso é inédito."

O tiroteio em Ohio aconteceu horas depois de um jovem ter aberto fogo em uma área comercial lotada de El Paso, no Texas, deixando 20 mortos e mais de 24 feridos. Poucos dias antes, em 28 de julho, um jovem de 19 anos matou três pessoas, incluindo duas crianças, no Gilroy Garlic Festival, no norte da Califórnia.

O tiroteio deste domingo em Dayton é o 22º assassinato em massa de 2019 nos EUA, de acordo com o banco de dados de assassinatos em massa da AP/USA Today/ Northeastern University, que rastreia os homicídios onde quatro ou mais pessoas morreram, sem incluir o infrator.

* Com Estadão Conteúdo