GEORGETOWN (Guiana) - Cinco membros da Força de Defesa da Guiana (GDF) foram formalmente acusados de agredir vários mineiros guianenses e brasileiros e de roubar ouro em estado bruto de suas vítimas. 
 
O GDF afirma que um tenente, um cabo e três soldados foram enviados a uma prisão militar antes de um processo judicial em uma corte marcial. 
 
De acordo com um comunicado, a GDF conta com provas suficientes para acusar os militares sob a lei marcial. 
 
Os crimes teriam sido cometidos em 25 de janeiro em diferentes acampamentos de mineiros no oeste da Guiana, perto da fronteira com a Venezuela. 
 
Oficiais do exército afirmaram à AFP, sob a condição de anonimato, que os cinco militares serão submetidos a novas investigações para determinar se fumaram maconha. Os mineiros afirmam que os soldados roubaram a droga de um dos acampamentos e usaram a droga antes de cometer os crimes. 
 
Os militares também poderão ser processados de acordo com uma lei civil. 
 
Os soldados guianenses são proibidos de entrar nos acampamentos, a menos que tenham a companhia de agentes do organismo regulador estatal, a Comissão de Geologia e Minas da Guiana (GGMC).