Uma violenta tempestade de neve complicou nesta quinta-feira (25) a tentativa de resgate do quebra-gelo australiano "Aurora Australis", que ficou preso na Antártida com 68 pessoas a bordo.

O incidente ocorreu na manhã dessa quarta-feira (24) às 09h15 de Sydney (19h15 de Brasília de terça-feira), quando a imponente embarcação vermelha realizava uma missão de abastecimento da base australiana Mawson, assolada por ventos superiores a 130 km/h.

"No total, 68 membros da expedição e da tripulação estão a bordo, todos sãos e salvos", indicou em um comunicado a Divisão Antártica Australiana (AAD).
"A tempestade de neve complica a avaliação dos danos, mas a tripulação já realiza uma inspeção a partir do interior" do navio, acrescentou.

O "Aurora Australis" ficou preso em West Arm, em Horseshoe Harbour, na Baía de Holmes.

A tripulação consertou um buraco "situado em uma zona do barco que não apresenta nenhum risco para a estabilidade do navio e também não há nenhum risco de perda de combustível", acrescentou a AAD.

"As tentativas de desencalhar o navio serão realizadas quando as condições meteorológicas se acalmarem. A tripulação precisará de ao menos três dias para realizar a avaliação completa do barco quando for recuperado", acrescentou a fonte.

A AAD declarou que o vento não deve soprar acima dos 55 km/h para poder transferir o barco ao continente branco. A tempestade deve se acalmar na noite desta quinta-feira (25).

A Austrália conta com três bases permanentes na Antártida - Mawson, Davis e Casey - assim como uma estação na ilha de Macquarie, que o "Aurora Australis" abastece habitualmente.