Líderes mundiais prestaram homenagens e comentaram a morte do comandante da Revolução Cubana, Fidel Castro. O falecimento de Fidel foi anunciado por seu irmão Raúl Castro às 22h da  última sexta-feira (25) (1h29 de sábado, segundo o horário de Brasília), na televisão estatal de Cuba.

Venezuela

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, publicou em seu perfil no Twitter uma série de mensagens de condolências à morte de Fidel. "Acabo de falar com o presidente Raúl Castro para transmitir solidariedade e amor ao povo cubano, diante da partida do comandante Fidel Castro", disse. 

Maduro ainda comentou que a missão dos revolucionários de todo o mundo seria seguir com o "legado de independência, socialismo e pátria humana" deixados pelo líder cubano. 


Rússia

Vladmir Putin, líder da Rússia, lamentou a morte do revolucionário, "símbolo de toda uma era na história do mundo". O presidente russo destacou que Fidel era "um verdadeiro e leal amigo da Rússia", que investiu no desenvolvimento das relações entre os dois países. 

O ex-líder soviético, Mikail Gorbachev, recordou a importância do líder cubano na história mundial, de acordo com a agência de notícias Interfax. "Fidel segurou o seu território e fortaleceu seu país na época do mais severo bloqueio norte-americano, no momento da pressão maciça sobre ele", disse.

Leia mais:

Fidel Castro, ex-presidente de Cuba, morre aos 90 anos

Lula homenageia Fidel Castro, falecido em Cuba nessa sexta

Papa Francisco envia telegrama de pêsames a Raúl Castro

Fidel foi um dos mais importantes políticos contemporâneos, diz Dilma

Fidel foi um líder de convicções e marcou segunda metade do século 20, diz Temer

Magic Paula lembra homenagem de Fidel em 1991: 'Momento marcante'

Entre os políticos brasileiros, morte de Fidel desperta reações distintas

Espanha

O governo da Espanha também emitiu um comunicado através do Ministério das Relações Exteriores para Raúl Castro. Lembrando que o revolucionário sempre teve "vínculos próximos com a Espanha" por ser filho de espanhóis, a administração de Mariano Rajoy caracterizou Fidel como "uma figura de grande envergadura histórica, que marcou um ponto de inflexão no país e que teve grande influência em toda a região".

México

O presidente mexicano Enrique Peña Neto também prestou suas homenagens ao líder cubano nas redes sociais. Lamentando a morte, Peña Neto ressaltou que Fidel sempre foi "amigo do México" e que promoveu uma relação entre os dois países embasada em "respeito, diálogo e solidariedade". 

França

François Hollande se pronunciou sobre a morte de Fidel, a quem chamou "um dos personagens da Guerra Fria" em comunicado divulgado pelo Palácio do Eliseu. 

"Fidel Castro foi uma figura do século XX. Encarnou a revolução cubana, tanto nas esperanças que despertou como depois nas desilusões que provocou", disse Hollande. 

O chefe de estado francês ressaltou que Fidel carregava para os cubanos "orgulho ao rejeitar a dominação externa". 

El Salvador

Em El Salvador, Salvador Sánchez declarou solidariedade ao povo cubano e ao governo de Cuba, a quem caracterizou como "irmãos". 

Equador

Rafael Correa, líder do Equador, exaltou a força da América Latina e relembrou a importância de Fidel como figura histórica do século XX.

Fidel faleceu aos 90 anos e deixa o legado de seu governo socialista nas mãos do irmão Raúl Castro. Raúl já lidera o país desde 2006, quando a saúde do comandante começou a ficar debilitada. 

*Com informações de Folhapress