O vereador Gilson Reis (PCdoB), que aparece sendo empurrado pelo vereador Mateus Simões (Novo) em um vídeo feito na Câmara Municipal de BH durante sessão plenária nessa quarta (9), afirmou que já registrou um boletim de ocorrência contra o colega por agressão e calúnia. “Meus advogados estão analisando o que pode ser feito no âmbito administrativo e tomaremos as medidas necessárias. Não podemos permitir que a Câmara Municipal se torne um MMA”, declarou.

Simões, por sua vez, se defendeu afirmando que apenas reagiu à agressão do colega, mas se desculpou durante pronunciamento em plenário. “Eu lhe desculpo, Gilson Reis, porque você é um inconsequente, mas também peço desculpas pela minha intemperança”, disse.

Reis afirmou que vai ao Instituto Médico Legal (IML) para realizar o exame de corpo de delito e seguir com as providências legais contra Simões.

Obstrução 

Nesta quinta-feira (10) completam-se 12 dias de obstrução à votação do Escola Sem Partido em plenário. Vereadores contrários à proposta se articulam para impedir que a pauta seja votada, já que a previsão é de maioria a favor.

Gilson Reis, um dos parlamentares da oposição, confirmou que a estratégia segue nesta quinta, justificando que a pauta é inconstitucional. Para Simões, no entanto, a atitude da oposição de obstruir a votação representa um prejuízo para toda a população. “Essa obstrução representa um gasto de R$ 25 milhões para os cofres públicos com sessões que não resolveram nada. Enquanto isso, outros projetos estão parados esperando votação”, declarou, citando o projeto que regulamenta a entrega de mercados municipais à gestão privada.

Leia mais:
Sessão plenária sobre Escola Sem Partido vira confusão entre vereadores
Debate sobre o projeto Escola sem Partido gera confusão na Câmara de BH; veja o vídeo
Após agressões em galerias na Câmara, professores anunciam paralisação em BH