Consolidado como uma das maiores folias do país, o Carnaval de Belo Horizonte vai receber 93% mais hóspedes do que no ano passado, segundo levantamento do Airbnb, ferramenta de aluguel de apartamentos, casas e quartos. Os dados não incluem os hotéis tradicionais. 

Proprietários que usam a plataforma e ainda querem aproveitar a alta temporada para faturar oferecem as últimas vagas na cidade em locações com preços muitas vezes menores do que os estabelecimentos convencionais. 

O boom de blocos e foliões impulsionou até situações improváveis na folia belo-horizontina. Neste ano, um casal de São Paulo reservou todos os 33 lugares do Hostel Trem Azul, no bairro Santa Tereza, para realizar um casamento durante o desfile do “Bloco Pode Sim”. 

“Normalmente recebemos grupos menores no Carnaval, turma de três ou quatro pessoas. Mas esse pedido para reservar o hostel inteiro para um grupo de amigos, ainda mais num casamento, foi o mais diferente até hoje, em cinco anos que tenho o estabelecimento. Acho que a procura aumentou mesmo na cidade inteira. Ano que vem deve ser ainda maior e, se bobear, vai expandir para outros bairros”, diz Leonardo Lobato, proprietário do hostel.

A busca por hospedagem, de acordo com a pesquisa do Airbnb, está concentrada em cinco bairros principais, que abrigam a maior parte dos 700 desfiles previstos pela Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur): Centro, Funcionários, Santa Efigênia, Cruzeiro e Santo Antônio.

Somente no Airbnb, existem 2.600 anúncios ativos na capital mineira e direcionados para o período do Carnaval, entre 1º e 6 de março. Foi numa dessas oportunidades que as amigas cariocas Tainara Moreira, 28, e Andrea Marcelino, 26, conseguiram achar duas vagas em um hostel com quartos mistos — mais baratos do que as opções privativas ou quartos de hotel. Ao todo, elas vão desembolsar R$ 1.500 com hospedagem para três dias, metade do preço dos hotéis que pesquisaram, mesmo tendo fechado a estadia há uma semana. 

“Resolvemos ir de última hora porque já aproveitamos o Rio o ano todo e queríamos algo diferente. Vimos muitas notícias da festa em BH e fechamos tudo na semana passada. Achamos um lugar no Santa Tereza, que é conhecido como bairro boêmio da cidade e tem blocos como Volta Belchior e Clube da Esquina. Valeu a pena porque, mesmo na semana do Carnaval, encontramos uma opção bem mais em conta”, disse Tainara, que é publicitária.

Para os proprietários de imóveis e hostels em BH, o aumento de quase 100% da chegada de hóspedes na cidade também será lucrativo. O aposentado Danilo Azevedo, de 64 anos, aluga há três anos o seu apartamento de três quartos no bairro Jardim América. Neste ano, o espaço foi reservado para 11 pessoas ainda em setembro, a um preço de R$ 650 a diária.

“Alugo meu apartamento o ano todo e com certeza o Carnaval é a melhor época para alugar em BH. A maioria das pessoas quer ficar junto dos amigos. Então um apartamento bacana, com espaço para todos, é ideal. Por que essa é a graça do Carnaval, não é?”, diz o locatário.


Sem festa, Três Corações desponta e atrai pelo sossego

Além de Belo Horizonte, pelo menos outras seis cidades mineiras tiveram altas consideráveis na chegada de hóspedes durante o Carnaval. O município de Três Corações, no Sul de Minas, registrou o maior crescimento de turistas do país neste ano, com previsão de aumento de 253% no número de hóspedes, segundo o levantamento do Airbnb. É o maior crescimento entre todas as cidades do Brasil. Neste caso, não é a folia que tem atraído os visitantes, mas sim o sossego de uma cidade que não terá a festa momesca em 2019.

Em Três Corações, o prefeito Cláudio Cosme Pereira de Souza (MDB) decidiu cancelar o Carnaval patrocinado pela prefeitura em razão do atraso dos repasses do governo do Estado, referentes aos impostos de ICMS, IPVA e Fundeb. Em nota divulgada em 7 de fevereiro, a Secretaria de Lazer, Turismo e Cultura informou que “tendo em vista a grave crise que afeta todos os municípios mineiros devido à falta de repasse de verbas pelo governo do Estado, a atual administração não realizará nenhuma atividade durante o Carnaval 2019 e destinará a verba para aquisição de uniformes para os alunos da rede municipal”. 

Além disso, a Prefeitura determinou que os interessados em promover eventos na cidade, todos concentrados na Praça Odilon Rezende, não deverão ultrapassar o horário de meia-noite.

Outras cidades 

Em outros municípios de Minas, que historicamente têm Carnaval renomado e com presença de público encorpada, também houve alta na procura de hóspedes. Ouro Preto, que há alguns anos atraía foliões da capital mineira, tem a expectativa de receber 61% a mais de pessoas do que em 2018, de acordo com o Airbnb.

Já São João del Rei deverá dobrar o público neste ano, com alta de 95%. No mesmo ritmo, estão duas cidades do Sul de Minas: Poços de Caldas, com previsão de acréscimo de 150% de foliões, e São Lourenço, que terá a presença de público 133% maior do que no ano passado.