Subiu para pelo menos 16 o número de mortes causadas pela passagem da tempestade Sandy na costa leste dos Estados Unidos. A tormenta atingiu a costa de New Jersey com ventos de 130 quilômetros por hora e fez Nova York ser invadida pela água do mar, que alcançou o nível recorde de 4 metros, inundando túneis, estradas, estações de metrô e derrubando o sistema elétrico.

Nessa segunda-feira (29), cerca de 6,2 milhões de pessoas ficaram sem energia elétrica na costa leste e boa parte da região sul de Manhattan ficou no escuro, segundo a principal empresa elétrica de Nova York.

A tempestade também forçou o presidente Barack Obama e seu rival republicano, Mitt Romney, a cancelar eventos de campanha. A eleição presidencial está marcada para 6 de novembro.

Antes mesmo de atingir terra firme, Sandy já não tinha mais o status de furacão, mas a distinção era puramente técnica, baseada em seu formato e temperatura interna porque a tormenta ainda gera ventos típicos de furacão. Na noite de segunda-feira, o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, pela sigla em inglês), com sede em Miami, classificava Sandy como ciclone pós-tropical.

Os mercados acionários dos EUA ficarão fechados pelo segundo dia consecutivo nesta terça-feira. A última vez em que a Bolsa de Nova York (NYSE, na sigla em inglês) foi forçada a fechar por dois dias seguidos por causa de fatores climáticos foi em 1888, quando a cidade foi atingida por uma nevasca. As informações são da Associated Press.