A mineira Francisca de Paula de Jesus ou Nhá Chica, que será beatificada hoje à tarde em Baependi, sul de Minas, entra em uma lista ainda restrita de apenas 5 santos e 80 beatos brasileiros reconhecidos pela Igreja Católica. Desse total, 37 nasceram no país e 48 são estrangeiros que viveram aqui. Cerca de 60 outros candidatos estão em processo de beatificação e canonização, com boa chance de merecer em breve a veneração dos fiéis nos altares.

O único brasileiro nato canonizado é Frei Antônio de Sant'Anna Galvão, de Guaratinguetá, fundador e construtor do Mosteiro da Luz, em São Paulo, onde está sepultado. Foi proclamado santo por Bento XVI no Campo de Marte, em 2007, quando o papa, agora emérito, visitou a capital de passagem para a 5.ª Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, em Aparecida.

Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus, que era italiana e chegou aos 9 anos a Santa Catarina, onde se tornou freira, foi canonizada em Roma por João Paulo II em 2002. Antes dela, o papa havia canonizado, em 1988, três mártires jesuítas - o paraguaio Roque Gonzáles e os espanhóis Afonso Rodriguez e João de Castilho, missionários no século 17 nas Reduções, atualmente território do Rio Grande do Sul.

O mais conhecido na lista de beatos é o padre José de Anchieta, nascido nas Ilhas Canárias, que veio com os primeiros jesuítas para o Brasil, onde dedicou a vida à evangelização e educação dos índios. Beatificado por João Paulo II em 1980, sua causa depende da aprovação de um milagre para a canonização. Em duas oportunidades, o Vaticano aprovou a beatificação coletiva de brasileiros natos e de estrangeiros com missão no País. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.