A Nissan tem uma uma dívida de gratidão impagável com o 240Z. O esportivo japonês foi protagonista na estratégia de internacionalização da fabricante, principalmente nos Estados Unidos e Europa. Na terra do Tio Sam, o cupê serviu de opção diante da estrangulação dos muscle cars, devido à Crise do Petróleo. Na Europa surgia como uma opção esportiva mais acessível.

Mas nos dois casos foi preciso mostrar que o carro não era apenas simpático. Nos EUA, o cupê não demorou para começar a competir nas provas da IMSA. Já na Europa, o buraco era mais embaixo, literalmente.

Para provar as capacidades de seu esportivo, a Nissan inscreveu o 240Z no Rali da África Oriental, de 1971. O cupê fez uma prova irretocável, com as primeira, segunda e sétima posições. Era o que o Z precisa para se tornar um ícone no Velho Mundo.

Agora, para celebrar os 50 anos da conquista, a marca japonesa apresenta o conceito Juke Rally Tribute. O descolado SUV, que já tinha sido utilizado no protótipo Juke R (que recebeu o monstruoso V6 biturbo do GT-R), agora ganha uma derivação off-road.

O Juke Rally é um showcar por definição. A marca desenvolveu o conceito para celebrar a efeméride e também atrair publicidade para a marca. A Nissan não dá informações sobre a motorização e nem divulga o interior do carro.

A versão de produção é equipada com motor 1.0 turbo de 117 cv, tração dianteira e opções de caixa manual de seis marchas e transmissão automática de sete velocidades. Ou seja, ele pode ser descoladinho na cidade, mas definitivamente não é um carro de rali.

Mesmo assim recebeu pintura vermelha com caixas de rodas e capô em preto, como os faróis auxiliares acima da grade. O Juke também recebeu faróis de LED sobre o para-brisas, para-choque traseiro com saídas de escapamento centrais, assim como compartimento para um par dos imensos pneus Dunlop de competição, como nos carros que disputam ralis de longa duração.

Apesar de ser um carro para comemorar a conquista da marca na África, o Juke Rally Tribute pode indicar um futuro projeto da marca para competições off-road. Afinal, ao lado da Honda, a Nissan nunca conquistou venceu no Dakar e nem no WRC, como fizeram Toyota, Subaru e Mitsubishi. No entanto, a Honda é pentacampeã de Fórmula 1. Será que veremos um Juke no deserto, ou é só um confete de aniversário?