A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou nesta quinta-feira (31) a primeira autorização global de uso emergencial de uma vacina contra a Covid-19. O imunizante escolhido foi desenvolvido pelas farmacêuticas Pfizer, dos Estados Unidos, e Biontech, da Alemanha. 

A vacina já recebeu aprovação nos Estados Unidos, no Reino Unido e na União Europeia. No Brasil, as empresas estão em negociação com o governo federal e em diálogo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

A autorização emergencial da OMS não substitui a análise de cada país, mas, segundo a entidade, abre a porta para que as agências reguladoras de cada nação possam realizar procedimentos de exame do imunizante. 

A permissão também favorece que organismos internacionais, como a própria OMS e outros ligados ao sistema ONU, possam adquirir lotes e distribuir a países que precisam. 

A vice-diretora geral da OMS para acesso a medicamentos, a brasileira Mariângela Simão, destacou em comunicado no site da organização que é fundamental assegurar as vacinas a todos que necessitem - tanto países com economias fortes quanto nações em desenvolvimento