Este domingo (5) marca o Dia da Língua Portuguesa. A data celebra a importância cultural e histórica do idioma para toda a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). Desde dezembro, estudantes de vários níveis têm a possibilidade de estudar a língua na Escola Internacional das Nações Unidas, por meio de um projeto piloto para alunos que desejem aprender português em contexto extracurricular.

O professor de português na Escola Internacional das Nações Unidas, José Carlos Adão, é também o adjunto de coordenação do ensino de português do Instituto Camões. O docente explicou à ONU News a importância deste projeto.

“Dada a relevância que o português já assume na cena internacional, sendo língua de trabalho de organizações internacionais como a União Africana e a Cedeao, estar presente numa escola que tem 1,6 mil alunos, de imensas nacionalidades, e dar a possibilidade de os alunos aprenderem essa língua, que é uma das mais faladas do mundo, é importantíssimo. O português deverá futuramente ocupar cada vez mais esse espaço de destaque nas línguas que se afirmam e que são línguas de negócios, de cultura, que fazem parte da cena internacional. Tê-las nesses espaços beneficia a língua, mas também os contextos internacionais em que estão”, disse.

As aulas têm mais de 20 alunos inscritos e decorrem três vezes por semana. Os interessados têm idades entre os oito e os 18 anos. “Tem muitos alunos de ascendência lusófona, de países da CPLP, e que podem aprender essa língua que é nossa e que partilhamos, com algumas diferenças entre si, muitas semelhanças, e pequenas situações que nos fazem sorrir quando nos entendemos. Palavras que nós dizemos de uma forma e que no Brasil são usadas de outra forma e que já tem acontecido nas aulas, com os alunos, essas pequenas situações.”

José Carlos Adão explicou que o objetivo da iniciativa é que o português passe a fazer parte do currículo da escola, dando a possibilidade aos alunos de estudar a língua como uma das suas opções.

O professor diz que, além da língua, as aulas procuram “tocar pontos como cultura, cidades da CPLP, aspectos e curiosidades das diferenças culturais e semelhanças que existem, e questões da língua, como contos tradicionais, imagens, áudios.”

Evento

Na sexta-feira (10), a CPLP, hoje presidida por Cabo Verde, marca o dia com um evento na sede das Nações Unidas, em Nova York.

Dezenas de representantes da comunidade internacional, funcionários da ONU e convidados terão oportunidade de assistir a momentos culturais destes países e experimentar especialidades gastronômicas.

Leia mais:
ONU: uso excessivo de remédios pode matar 10 milhões ao ano até 2050
Bombeiros mineiros se emocionam com uso de bandeira do Brasil por mulheres em Moçambique
ONU lança site para ajudar refugiados a encontrar emprego no Brasil