Após 40 anos de atividade em Belo Horizonte, a rede Othon Palace anunciou que fechará as portas na capital em 18 de novembro. Além da estrutura hoteleira, os três restaurantes que funcionam no prédio, na avenida Afonso Pena, em frente ao Parque Municipal, serão fechados. 

A rede também interromperá as atividades do Bahia Othon Palace. A decisão, segundo o grupo, é fruto de mudanças na estrutura organizacional e também da crise econômica vivida atualmente pelo empresariado brasileiro. 
“Conscientes da atual situação do país, continuamos acreditando na recuperação da economia e, certamente, a bandeira Othon continuará apostando no turismo nacional”, afirmou Jorge Chaves, gerente geral corporativo de Operações, por meio de nota. 

Para Maarten Van Sluys, executivo e consultor hoteleiro da JR & MvS Consultoria, que atuou como gerente geral do Belo Horizonte Othon Palace em 2008, o alto custo operacional e a necessidade de reformas também foram decisivas para o fechamento. Ele estima que o hotel tenha cerca de 145 funcionários. 

“Com a construção de novos hotéis para a Copa do Mundo, a oferta de leitos aumentou demais e a ocupação caiu. Para que os estabelecimentos antigos continuem competitivos, eles precisam ser reformados. No caso do Othon, estimo que o investimento para fazer melhorias seja de no mínimo R$ 30 milhões. Acho que esse valor tornou a unidade inviável para o grupo”, afirma.

Segundo Maarten, o fechamento serve de alerta para o setor, já que o Othon tinha um dos melhores desempenhos da cidade. 
“No ano passado, a média de ocupação do Othon foi de 52%, enquanto a média da capital era de 48%. Comparando a taxa de ocupação e a diária média dos 40 principais hotéis, o Othon variou sempre entre o quarto e o 12º lugar no ranking. O fechamento é um sinal fortíssimo para vários outros empreendimentos”, adverte o consultor. 

Celebridades

Erguido em 1978, o Othon Palace foi o primeiro hotel de luxo de BH. Centenas de artistas já se hospedaram em um dos 296 quartos do edifício, distribuídos em 29 andares. Eric Clapton, Tom Jobim, Roberto Carlos, Chico Buarque e Ayrton Senna são algumas personalidades que já ficaram no hotel. 

A rede não divulgou a existência de possíveis compradores para o imóvel e não revelou se há alguma negociação em andamento.