Representantes dos órgãos do setor de Segurança Pública de Minas Gerais se reuniram na noite desta sexta-feira (8) com o governador do Estado, Romeu Zema (Novo), para tentar reverter a nova forma de pagamento do 13º salário de 2018 proposta pelo poder Executivo. 

Na manhã desta sexta, o Estado anunciou a alteração, determinando o pagamento em parcelas com valores crescentes, ao invés das 11 parcelas fixas declaradas pelo governo anteriormente. 

Mas de acordo com os representantes da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, após reunião com o governador de Minas e com o vice-governador, ficou definido que o setor de Segurança Pública vai ter um regime diferenciado dos demais. "Ficou decidido que as 11 parcelas em valores iguais permanecem para todos os integrantes do sistema de Segurança Pública", anunciaram.

Pela nova escala de pagamento anunciada nesta sexta, que continua valendo para as demais categorias do serviço público de Minas, os servidores receberão R$ 300 em fevereiro, março e abril. Em maio e junho, o valor subirá para R$ 400. Já em julho, a parcela será de R$ 500. Em agosto serão pagos R$ 600 e, em setembro, R$ 800, e assim sucessivamente.

Nossa reportagem entrou em contato com a assessoria do governo de Minas, mas ninguém foi encontrado para confirmar se o setor de Segurança Pública vai ter mesmo um regime de pagamento diferenciado das demais categorias.

Assista ao vídeo: