O governo de Minas Gerais assinou ontem um acordo para ceder, temporariamente, a administração do Palácio das Mangabeiras à Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge). Durante quatro anos, a antiga residência oficial dos governadores do Estado será administrada pela Codemge e passará por uma reforma estrutural realizada pela CasaCor. A ideia é que o espaço se transforme em um museu.

Em solenidade no Palácio das Mangabeiras, na região Centro-Sul, o governador Romeu Zema (Novo) disse que o Palácio será aberto ao público.

“Nesta casa, trabalhavam 32 funcionários exclusivos para atender o governador e a família dele. Esse gasto desde o dia 1º de janeiro foi reduzido a zero. Como é de conhecimento de todos, não moro aqui, aluguei uma casa próxima à Cidade Administrativa. Agora, estou tendo o privilégio de, pela primeira vez na história de Minas, abrir dentro de alguns meses para a visitação para o público”, disse o governador. A ideia é que o Palácio esteja aberto à visitação daqui a 60 ou 90 dias, segundo Zema. 

O primeiro evento oficial no Palácio das Mangabeiras será a 25ª edição da Casa Cor, que acontece no fim de agosto. Em contrapartida pela ocupação do espaço, a Casa Cor fará uma série de reformas estruturais no Palácio, projetado por Oscar Niemeyer com jardins de Burle Marx. Entre as obras, estão incluídas reformas de azulejos, painéis, tetos e pisos.