Em uma transmissão online na tarde desta quinta-feira (19), o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, rebateu as críticas do governador de Minas, Romeu Zema, ao que atribuiu serem direcionadas à prefeitura. Por meio do Twitter, Zema havia dito que convida "aqueles que subiram em palanques para descer", horas antes da transmissão de Kalil.

Nessa quarta (18), Kalil havia dito que o governo do Estado recuou nas medidas que deveria tomar e que, portanto, BH anuncia suas próprias medidas em relação ao combate do avanço da pandemia de coronavírus na cidade.

Já nesta quinta, por volta de meio-dia, Kalil se defendeu em transmissão online no Facebook. "Tirar emprego não é populismo, fechar estabelecimento não é populismo, é coragem para fazer o que tem ser feito. Não preciso de palanque, eu preciso de um governador de palavra".  

Ele também fez críticas à gestão Zema sobre os recursos para reconstruir Belo Horizonte após os estragos das chuvas e sobre o que chamou de "pandemônio nas duas instituições que funcionam em Minas: a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros", se referindo às promessas de reajuste à Segurança. "O senhor não tem palavra", reiterou ao governador.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação do governador, que informou que ele não irá se pronunciar sobre o assunto. 

Leia mais:
Kalil pede desculpas por redução de ônibus nas ruas de BH e promete medidas para ajudar empresários
Prefeitura de BH suspende funcionamento de bares, restaurantes e shoppings a partir de sexta-feira