O papa Francisco e o presidente iraniano, Hassan Rouhani, se reuniram na manhã desta terça-feira no Vaticano. Trata-se do primeiro encontro entre um pontífice e um chefe de Estado iraniano desde 1999.

O encontro ocorre no segundo dos quatro dias de visita de Rouhani à Itália e à França - a primeira viagem da autoridade ao exterior desde que as sanções internacionais contra o Irã foram afrouxadas, neste mês.

A maior parte da visita de Rouhani é concentrada no impulso das relações econômicas iranianas com a Europa. O encontro com o papa, porém, atrai interesse diante dos laços próximos que o Vaticano e o Irã tiveram durante anos.

O Vaticano tem pedido há tempos um acordo negociado para a guerra civil de quase cinco anos na Síria e apoiou a participação de Teerã nesse processo, mesmo com objeções de governos árabes e ocidentais que desejam a queda do poder do presidente sírio, Bashar al-Assad.

No ano passado, o representante da Santa Sé para as instituições da Organização das Nações Unidas em Genebra disse que o Irã era "parte integral do diálogo e da negociação" para a paz no Oriente Médio e em particular para "uma resposta comum, coordenada e razoável" ao Estado Islâmico na Síria. Em outubro, o Irã foi convidado pela primeira vez para participar de conversas multilaterais para tentar encerrar a crise na Síria.

Em discurso à comunidade de empresários italianos mais cedo nesta terça-feira, Rouhani citou o Alcorão, dizendo que "a igreja, a sinagoga e a mesquita devem conviver lado a lado". Fonte: Dow Jones Newswires.