O edifício que abrigou a Rede Ferroviária e permaneceu fechado por mais de 10 anos foi o local escolhido para receber a 23ª edição da CasaCor Minas. Localizado na rua Sapucaí, no bairro Floresta, na região Leste de Belo Horizonte, e tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o prédio poderá ser visitado a partir do próximo sábado.

Ao todo, serão utilizados 4.000 metros quadrados de área dos três pavimentos, distribuídos em quase 50 ambientes. A mudança de endereço, segundo os organizadores, visa atrair mais público. Em edições anteriores, o palco foi a Pampulha. A expectativa é agora receber 40 mil pessoas até 17 de setembro. A estimativa de geração de negócios não foi divulgada.

Além de visitar ambientes criados por arquitetos e decoradores dos mais diferentes perfis, os visitantes poderão usufruir de um restaurante, um café e um bar – o Ginger, primeiro empreendimento a se dedicar ao gim na capital.

O interessante é que, no momento em que a mostra ocupa um prédio tombado como patrimônio histórico, a maioria dos expositores segue uma tendência retrô, relembrando conceitos presentes em residências mais antigas – como cadeiras com detalhes de palhinha, louça colorida no banheiro, sofá de couro etc.

Uma novidade é um loft itinerante, construído dentro de um ônibus que circulará por diversos pontos da cidade. Desenvolvido pelo arquiteto Caio Prates, o loft pode servir facilmente como moradia ou hospedagem temporária para um casal. Possui sala de estar e TV integrada, quarto, cozinha e banheiro. O projeto prevê ainda a criação de um lounge externo, a partir da construção de um deck desmontável, que pode receber programação cultural a cada parada.

CasaCor

Temática desta edição da CasaCor Minas, que está de endereço novo, é “Foco no essencial”

 

Outra inovação desta edição é a realização de quatro workshops de fabricação digital, onde o público terá a oportunidade de ser co-autor de um dos ambientes, o GUAJA Sapucaí. Além de participarem da concepção do espaço, os participantes também fabricarão o mobiliário sob o comando de um grupo de experientes profissionais, comandado pela dupla Denis Fuzii e Rafael Cordeiro.

A intenção da produção da CasaCor é realizar o evento no edifício da rua Sapucaí por mais dois anos, nas edições de 2018 e 2019. Grupos de arquitetos, designers, decoradores e estudantes podem solicitar uma visita agendada pelo e-mail visita@casacorminas.com.br ou pelo telefone (31)3286-4587.


A CasaCor pode ser visitada de terça a sexta, das 15h às 22h; sábado, das 13h às 22h;
domingo e feriado, das 13h às 19h. Os ingressos custam R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)