A Autoridade de Aviação Civil da Malásia declarou oficialmente nesta quinta-feira que a queda do avião que fazia o voo MH370 foi um acidente, cumprindo uma obrigação legal que vai permitir o andamento dos pedidos de indenização.

O diretor da organização, Azharuddin Abdul Rahman, disse que as buscas pela aeronave que desapareceu no dia 8 de março de 2014, quando ia de Kuala Lumpur para Pequim, "continua a ser uma prioridade".

"É portanto com pesar e a mais profunda tristeza que declaramos oficialmente que a queda do avião da Malaysia Airlines que fazia o voo MH370 foi um acidente", disse ele em mensagem gravada anteriormente que foi levada ao ar pela televisão malaia. Ele declarou também que presume-se que todos os 239 passageiros e tripulantes a bordo perderam suas vidas.

Azharuddin afirmou que a Malásia, a China e a Austrália não poupam gastos ou recursos em suas buscas pelo avião, que teria caído ao sul do oceano Índico e ao largo da costa ocidental da Austrália. As buscas foram retomadas em outubro, após parada de quatro meses, quando passaram a ser usados sonares mais sofisticados.

Segundo Azharuddin, os integrantes das equipes de buscas levam em conta todas as pistas e avaliam todos os dados disponíveis que possam rastrear a aeronave, mas ainda não foram capazes de localizar o avião.

Ele afirmou que o capítulo 1, anexo 13 da Convenção Internacional da Aviação Civil, geralmente chamada de "Convenção de Chicago", declara que a definição do termo "acidente" inclui "o avião está desaparecido". "Também declara que 'um avião é considerado desaparecido quando as buscas oficiais tenham se encerrado e os destroços não tenham sido localizados'."

Azharuddin disse também que a investigação de uma equipe de segurança e da polícia malaia continuam em vigor, mas ambas são limitadas pela falta de evidência física até o momento, principalmente dos registros de voo.

"Nesta conjuntura, não há evidências para fundamentar qualquer especulação como a causa do acidente", afirmou ele, acrescentando que um relatório provisório que trata do progresso da investigação de segurança será publicado em breve. Fonte: Associated Press.