O governo do Paraguai autorizou, no sábado (20), a licitação para a elaboração do projeto executivo da ponte sobre o Rio Paraguai, unindo os municípios de Porto Murtinho (MS) a Carmelo Peralta, no Paraguai. A informação é da Secretaria do Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul, em nota. A travessia tornará viável o Corredor Bioceânico (Atlântico-Pacífico). A construção, que terá 680 metros de extensão e R$ 290 milhões em recursos da Itaipu Paraguai, deve ser iniciada em abril de 2020 e com prazo previsto para conclusão em três anos.

O governador sul-mato-grossense, Reinaldo Azambuja, afirmou que a obra encurtará o caminho até o mercado asiático, ao ligar, pelo Corredor Bioceânico, os Oceanos Atlântico e Pacífico. Segundo a nota, o corredor reduzirá em 17 dias o trajeto de viagem das commodities de Mato Grosso do Sul em direção ao mercado asiático, saindo dos Portos de Paranaguá (PR) ou de Santos (SP).

Azambuja destacou que, com a construção da ponte e os investimentos portuários para fomentar o transporte pela Hidrovia do Paraguai, o município de Porto Murtinho deixará de ser o fim da linha e uma região estagnada pelo seu isolamento. "Esta região será o centro do eixo entre os oceanos Atlântico e Pacífico, atraindo a produção de 100 milhões de toneladas de grãos da Região Centro-Oeste e fomentando o turismo, outra fonte de riqueza", destacou.