Um dia após Sargento Rodrigues (PDT) ter declarado apoio formal à candidatura de João Leite (PSDB), o partido do deputado estadual anunciou estar ao lado de Alexandre Kalil (PHS) no segundo turno.

Segundo a presidente do PDT estadual Sirley Soalheiro, a definição do apoio ocorreu em reunião no partido, ontem, que envolveu integrantes da executiva municipal e estadual. Dentre os 21 participantes, 19 votaram pelo apoio ao Kalil e duas pessoas se abstiveram. “Não houve nenhum voto para João Leite. O que Sargento Rodrigues fez foi declarar um apoio individual e isolado a João Leite”, afirma.

Ainda segundo a representante do partido em âmbito estadual, pesou na decisão, a possibilidade de renovação apresentada por Kalil. “Entendemos que Belo Horizonte precisa de alguma coisa nova. Estamos apostando que Kalil pode fazer uma boa administração mais voltada para o campo da esquerda e das pessoas que necessitam de uma cidade melhor”, garante.

Sargento Rodrigues, que preside o PDT municipal em Belo Horizonte, não participou da reunião, apesar de ter sido convocado. Segundo fontes ligadas ao PDT e ao PSDB, a aliança entre ele e João Leite já estava fechada antes mesmo das eleições. Quem fosse ao segundo turno apoiaria o outro, como já mostrado em uma matéria publicada pelo Hoje em Dia. "João Leite queria o meu apoio e não do partido.  Quem teve voto fui eu. E como presidente do PDT municipal mantenho meu apoio", disse Sargento Rodrigues.

Apesar da parceria de agora, no final da década de 1990, o candidato tucano, então presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, pediu o afastamento de Rodrigues do grupo. Na época, João Leite ponderou que o “currículo policial” do político, que já tinha sido acusado de espancar frequentadores de um bar em Belo Horizonte, não era compatível com a Comissão.