Avaliações distintas da população de Belo Horizonte em relação aos ocupantes das cadeiras das três esferas do Executivo. É o que mostram os dados da pesquisa encomendada pelo Hoje em Dia à Quaest Consultoria e Pesquisa, registrada na Justiça Eleitoral sob o número MG-05654/2020. Além de traçar um retrato da sucessão municipal para as eleições de novembro, o levantamento procurou saber, do belorizontino, como vê o trabalho do presidente da República; do governador do Estado e do prefeito da capital.

No plano federal, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teve seu desempenho considerado positivo por 29% dos entrevistados. Para 21%, sua administração é considerada regular, enquanto, para 50%, é avaliada negativamente.

Já o governador Romeu Zema (Novo) viu sua administração avaliada de forma positiva por 34% dos pesquisados, enquanto 38% a consideraram regular e 29% positiva.

O prefeito Alexandre Kalil (PSD) teve o desempenho considerado positivo por 59% dos entrevistados. Para 31%, sua avaliação é regular, enquanto 10% a consideram negativa. Sobre a avaliação da administração municipal, o cientista político Felipe Nunes, diretor da Quaest, destaca dois movimentos em especial: "O índice de rejeição entre as mulheres caiu em relação ao verificado no processo de 2016. Algo que pode ser apontado como um sinal de suporte em relação às ações de combate à pandemia.  Ao mesmo tempo, aumentou nos segmentos de maior renda e escolaridade. O que coincide com a maior pressão pela retomada das atividades".

Ponto limpo

Limpeza urbana foi o item mais bem avaliado pela população na atuação da Prefeitura, de acordo com a pesquisa

A pesquisa levantou ainda a avaliação das áreas específicas de atuação da prefeitura. Limpeza Urbana (57%), iluminação pública (56%); apoio à Cultura e asfaltamento/revitalização de ruas (43% cada) foram os itens com maior percentual positivo. No extremo oposto, transporte público (32%) e política de enfrentamento a enchentes (31%) tiveram a maior percepção negativa.

Cenário eleitoral

Como o Hoje em Dia revelou na segunda-feira, Alexandre Kalil aparece em vantagem nos dois cenários eleitorais apresentados pela pesquisa. No espontâneo, soma 36%, seguido pela deputada federal Áurea Carolina (PSOL), com 1%. Os demais candidatos citados somam, juntos, 2%. Os indecisos são 43% e 18% revelaram intenção de voto nulo ou em branco. Já no estimulado, em que os nomes dos pré-candidatos são apresentados, tem 54% das intenções. É seguido por João Vítor Xavier (Cidadania), com 8%; Rodrigo Paiva (Novo), 4% e Mauro Tramonte (Republicanos), com 3%. Nilmário Miranda (PT); Bruno Engler (PRTB) e Áurea Carolina (PSOL) somam 2% cada. Neste caso, os indecisos são 15%, enquanto o voto nulo ou em branco aparece em 8% das respostas.

A pesquisa ouviu 600 pessoas na capital, entre os dias 14 e 18. A margem de erro é de 4 pontos percentuais, para mais ou para menos.