Fazer compras no supermercado e no sacolão em Belo Horizonte não está fácil. O preço da batata, das carnes e das frutas e de outros alimentos registrou variação entre 1,18% e 12,34% no último mês, segundo dados do último boletim do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que é uma prévia da inflação oficial do país, divulgado nessa terça-feira (26).  

Das 11 regiões avaliadas pelo Instituto Brasileira de Geografia e Estatística (IBGE), a capital mineira aparece em quarto lugar com índice acima da prévia nacional da inflação, enquanto no Brasil a média foi de 0,78%, Belo Horizonte registrou 0,97%.  O economista da Belo Investment Research, Rafael Foscarini, sugere que, neste momento de aumento de preços, a “velha” dica é pesquisar e comprar em atacados para driblar a inflação.

Rafael Foscarini lembra ainda que o grupo da Habitação também impactou no índice da inflação. Os aluguéis são reajustados de acordo com o Índice Geral de Preços – Mercado (IPG-M), que fechou 2020 em 23,14%, maior alta desde 2002. A dica do economista é negociar com o dono do imóvel ou com as empresas de locação de imóveis para fazer o cálculo baseado em outro índice, o IPCA, que no mesmo período subiu 4,22%.

Acompanhe a entrevista na íntegra.