A dois dias do prazo final para a venda da refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a Petrobras ainda não tem nenhuma proposta de compra à vista. A estatal tem até esse domingo (31) para fechar o contrato que passa a Regap para a iniciativa privada.

De acordo com a Petrobras, o processo de compra e venda ainda está em andamento. Porém, a empresa não informou sobre propostas já feitas.

A instalação de refino de combustíveis, que é responsável pelo abastecimento de vários municípios de Minas Gerais e do Distrito Federal, terá que deixar de ser um braço de produção da Petrobras, depois que a empresa se comprometeu a reduzir o monopólio com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Desde 2019, quando o acordo com o Cade foi firmado, a estatal conseguiu ceder apenas duas refinarias para a iniciativa privada - a Landulpho Alves, na Bahia, e a Isaac Sabbá, no Amazonas. A empresa informou que segue comprometida com a meta de privatizar 50% da sua capacidade de refino.

Caso não consiga vender as refinarias dentro do prazo estipulado pelo Cade, a Petrobras terá que justificar para o conselho o motivo de não conseguir cumprir a determinação.

Destino dos trabalhadores

Após a definição do Cade para a concessão das refinarias, a Petrobras anunciou aos funcionários um Programa de Desligamento Voluntário. O modelo de gestão criado prevê realocação interna, plano de desligamento via acordo, possibilidade de migração para outras empresas de refino da companhia.

 

Leia também
Extração ilegal de minério é alvo de operação da Polícia Federal em cidades da Grande BH
Tanqueiros de MG não irão aderir à paralisação nacional dos caminhoneiros na próxima segunda-feira