Mesmo com a suspensão da greve em âmbito nacional, anunciada na noite dessa sexta-feira (25), os petroleiros de Minas continuarão com as atividades paralisadas até a realização de uma próxima assembleia. A reunião deve acontecer no início da próxima semana, segundo o Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro-MG).

Na manhã deste sábado (26), cerca de 60 trabalhadores cruzaram os braços e deixaram de entrar para a troca de turno na Refinaria Gabriel Passos (Regap). A ideia é a situação volte a ser avaliada pela categoria durante à tarde. 

"Decidimos pelo corte da rendição. Então vamos reavaliar a situação a cada 8 horas. Por volta das 15h30 decidiremos se o turno da tarde irá pegar serviço ou não", afirmou o diretor do Sindpetro-MG, Alexandre Finamori.

Reinvindicações

Os petroleiros exigem que seja feita a renovação do acordo coletivo e a conservação dos postos de trabalho ameaçados por uma eventual privatização da Petrobras. Os trabalhadores afirmam que a venda da Regap já estaria em estágio avançado de negociação.  

Os trabalhadores, de acordo com o sindicato, podem escolher entrar pra trabalhar ou voltar para casa até que a greve seja desfeita por uma assembleia. Até a próxima terça-feira a categoria deve decidir coletivamente se o movimento será mantido. Até o momento não há informações sobre desabastecimento nos postos de combustível.