A Polícia Federal realiza na manhã desta terça-feira (27), a Operação Alba Vírus para desarticular um grupo de traficantes de drogas que enviou ao menos seis toneladas de cocaína para países da Europa por meio dos portos de Santos, Paranaguá e Navegantes. Inicialmente a PF apreendeu US$ 2 milhões e R$ 400 mil, mas após buscas em endereços ligados aos investigados o valor recolhido já chega a US$ 4,5 milhões.

Cerca de 180 agentes cumprem 18 mandados de prisão temporária e realizam 42 buscas nos municípios de São Paulo, Santos, Guarujá (SP), Itajaí, Balneário Camboriú (SC), Campo Grande (MS) e Salvador (BA). Foi determinado ainda o sequestro de mais R$ 23 milhões em imóveis do grupo. As ordens foram expedidas pelo juiz Roberto Lemos Filho, da 5ª Vara Federal de Santos.

A PF identificou os integrantes do grupo, assim como bens móveis e imóveis adquiridos com o dinheiro do tráfico, após uma prisão em flagrante realizada no Guarujá em fevereiro.

Durante a análise dos celulares apreendidos na ocasião, foram encontrados vídeos nos quais os integrantes do grupo aparecem ocultando grandes quantidades de cocaína em meio a cargas lícitas em contêineres que embarcaram em navios com destino à Europa. De acordo com a investigação, a droga era transportada em meio a diversos tipos de carga - desde carregamentos de partes de frango congelado até cargas de ardósia.

O nome da operação, segundo a PF, significa vírus ou veneno branco em latim, "fazendo referência à cocaína, substância entorpecente objeto do tráfico internacional praticado pela Organização Criminosa". A corporação informou que estão sendo imputados aos investigados os crimes de organização Criminosa, tráfico internacional de entorpecente e associação para o tráfico.

'The Wall'

Na manhã desta terça, a Polícia Federal também deflagrou a operação The Wall, que cumpre 33 mandados de busca e apreensão e 24 ordens de prisão nas cidades de Itajaí, Balneário Camboriú, Blumenau, Balneário Piçarras e Ilhota, em Santa Catarina. A ação visa desmontar grupo que enviava cocaína para países da Europa por meio de portos da região, entre eles o de Navegantes. Segundo a PF, o nome da operação, do inglês "parede", está relacionado ao fato de a droga estar camuflada em meio a uma carga de tijolos.

Leia mais:
Receita pega 581 kg de cocaína em carga de ráfia reciclada no Porto de Santos