Um homem foi preso pela Polícia Federal em Santa Helena de Minas, na região Leste do Estado, suspeito de praticar crimes contra indígenas. As investigações dão conta de que ele pegava os cartões de benefícios sociais dos “Maxakalis” para praticar extorsão e ainda torturava as vítimas.

Batizada de "Desengate", a operação foi realizada na manhã desta quarta-feira (24). De acordo com a PF, um homem, com histórico de crimes na região, seria um dos principais responsáveis pela retenção de cartões. A investigação foi iniciada em janeiro e encontrou indícios de que ele teria torturado uma vítima que cancelou um dos cartões. 

Segundo a PF, também são investigados um vereador, um funcionário terceirizado da Fundação Nacional do Índio (Funai) e quatro comerciantes. Com os cartões retidos, os suspeitos obrigavam os indígenas a comprar apenas nos comércios envolvidos no esquema. Além disso, cobravam valores exorbitantes pelas mercadorias para tirar ainda mais vantagens.

Operação

A PF cumpriu nove mandados judiciais, sendo um de prisão preventiva e oito de busca e apreensão, todos expedidos pela Justiça Federal de Teófilo Otoni. A ordem de detenção e seis determinações para busca e apreensão foram cumpridas em Santa Helena de Minas, enquanto as duas restantes em Bertópolis e Ladainha.

Conforme a corporação, os envolvidos responderão por estelionato, extorsão e associação criminosa, podendo cumprir até 24 anos e meio de reclusão, se forem condenados. Além desses crimes, o homem preso responderá por tortura.

Leia também:
Com aval da Justiça, metrô circula com horário reduzido em BH e pega passageiros de surpresa
Ex-comandante-geral da PM ligado a Pimentel é alvo de operação da PF em BH
Inquérito contra o ex-ministro Weintraub sobre racismo vai para primeira instância