A indústria foi a vilã de mais um trimestre de retração econômica em Minas. De acordo com informações da Fundação João Pinheiro, o setor foi responsável por pelo menos um terço da queda do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, que retraiu 1,3% no terceiro trimestre em relação ao trimestre imediatamente anterior.

Setores ligados à indústria de transformação sofreram as quedas mais expressivas. A fabricação de veículos automotores liderou o ranking com retração de 16% no mesmo período de comparação, seguidos pelo setor têxtil (-15%) e de produtos químicos (-10%).

A queda do PIB do terceiro trimestre de 2015 é a terceiro recuo consecutivo em Minas. No contexto industrial, o quadro de ajuste fiscal e monetário, somado à crise política que tende a se prolongar, vem piorando indicadores de confiança dos empresários e dos consumidores, conforme avaliam especialistas.

Construção

O PIB da construção civil em Minas apresentou queda de 5,2% no terceiro trimestre. Na comparação com o mesmo período de 2014, a variação negativa foi de 13,5%.
Para o economista do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), Daniel Furletti, só com a retomada dos investimentos o quadro poderá ser revertido.
“O crescimento só voltará a acontecer se for baseado no investimento. E a construção civil é que responde por mais de 50% dele no país”, explica.

Serviços

No setor de serviços, o recuo foi de 1,3% no trimestre. É o sexto trimestre consecutivo de queda do setor em Minas. Segundo o estudo da FJP, a retração do setor de serviços mineiro “foi impulsionada principalmente por uma acentuada queda no comércio (-2,6%) e também nos transportes (-3,1%)”.

No setor agropecuário, a safra ruim do café no terceiro trimestre foi a principal responsável pela queda de 0,7%. Apesar da retração, o fechamento do ano deverá se manter positivo.