O ex-governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT) prestou depoimento no Fórum Lafayette nesta segunda-feira (28). O petista foi intimado a responder a um interrogatório, no âmbito da Operação Acrônimo, sobre o suposto esquema de caixa 2 na campanha eleitoral para o Senado em 2010.

O ex-chefe do Executivo de Minas prestou depoimento durante uma hora, mas não falou com a imprensa. A reportagem procurou o Partido dos Trabalhadores (PT) em Minas para comentar o depoimento, mas não obteve resposta até o momento. O advogado do petista, Eugênio Pacelli, não foi localizado para comentar o caso.

Em denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE), realizada pelo promotor Leonardo Barbabela, Pimentel é acusado de usar a empresa Papper Comunicação para movimentar ao menos R$ 1,5 milhão via caixa dois para sua própria campanha. Na declaração à Justiça Eleitoral, o petista declarou ter pago apenas R$ 90 mil à empresa Papper.

O ex-governador ainda é acusado pelo Ministério Público em outras duas denúncias relacionadas. Em uma delas, o petista responde por supostamente ter liderado outro esquema de caixa 2, desta vez durante sua campanha ao governo do Estado, em 2014. Na outra, Pimentel responde por supostamente ter se aproveitado do cargo de ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio durante a gestão de Dilma Rousseff para realizar operações de caixa 2.

MUDANÇA

Fernando Pimentel está em processo de mudança para a Espanha, onde irá ministrar um curso de um ano de duração sobre economia latino americana, na Universidade de Salamanca.