O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), afirmou que não acredita que o expressivo crescimento de Romeu Zema (Novo) nas pesquisas de intenção de voto ao governo de Minas possa ameaçar sua presença no segundo turno das eleições. 

No levantamento divulgado nessa quinta-feira (4), pelo Instituto Datafolha, Zema subiu de 9% para 15%, e está empatado dentro da margem de erro com Pimentel, que caiu de 24% para 21%. Antonio Anastasia lidera a disputa com 32% das intenções.

Ao lado do candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, da candidata à vice, Manuela D’Ávila (PCdoB), dos postulantes do partido ao Senado, Dilma Rousseff e Miguel Corrêa, Pimentel participou de caminhada na região de Venda Nova, em último ato de campanha na Região Metropolitana, antes da votação de domingo. 

Em rápida entrevista coletiva, que começou com quase três horas de atraso, o governador minimizou a evolução do candidato do Novo, e reafirmou a crença em um desfecho positivo da candidatura. 

“Isso não nos preocupa (crescimento de Zema). Nós vamos para o segundo turno e vamos vencer”, pontuou Pimentel. 

Haddad 

Segundo colocado nas pesquisas de intenção de voto à Presidência, Fernando Haddad afirmou que não teme que o “antipetismo” seja determinante para sua derrota em eventual segundo turno contra Jair Bolsonaro (PSL).

“O antifascismo é maior que o antipetismo. Espero, no segundo turno, debater frente a frente com ele (Bolsonaro), olho no olho”. 

No sábado (6), Pimentel vai a Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, onde vai fazer o encerramento da campanha ao lado da candidata à vice-governadora Jô Moraes (PCdoB) e de candidatos da coligação.

Leia mais:
Zema (Novo) sobe nas pesquisas, se aproxima de Pimentel (PT) e garante segundo turno em Minas
Pimentel afirma que orçamento não prevê aumento salarial para professores em 2019