O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), afirmou nesta terça-feira (17) que o monitoramento das barragens na região do acidente da mineradora Samarco está sendo feito diariamente, mas reconheceu que ainda há riscos no local. "Está sendo feito trabalho de enrocamento. Vai ser colocado no total 500 mil metros cúbicos de pedra e o risco que existe hoje já está diminuído", afirmou. "Mas, evidentemente, a situação ainda é de emergência tanto que não permitimos que a população retornasse (às casas)."

Nesta terça-feira, a Samarco admitiu que as barragens Santarém e Germano também correm o risco de romper no município de Mariana, em Minas. As duas estruturas operam com a margem de segurança abaixo do considerado seguro - 1,37 e 1,22, respectivamente. O limite mínimo é de 1,50, em uma escala de zero a 2. "O monitoramento das barragens está sendo feito diariamente", reforçou o governador.

Segundo Pimentel, apesar de ainda não ter sido completado o trabalho de busca de desaparecidos, e de destacar que "lamenta profundamente a perda de vidas humanas", o impacto inicial da tragédia já foi superado e é preciso trabalhar em questões de longo prazo. "Tomamos junto com o governo federal todas as medidas necessárias, não tem nenhuma providência que não tenha sido tomada", disse. Até o momento, já foram confirmadas 11 mortes e há 12 desaparecidos.

O governador disse ainda que a presidente Dilma Rousseff incentivou, durante a reunião do comitê que foi instaurado para cuidar das providências do acidente, que haja empenho para que o Rio Doce seja recuperado e fique ainda melhor do que antes. "Vamos transformar tragédia numa lição", disse.

Pimentel destacou ainda a criação de plano federativo para que seja possível investir na recuperação da bacia do Rio Doce. "Teremos de construir um instrumento que dê suporte a esse plano de recuperação, seja ele um fundo, seja ele um cronograma de ressarcimento. Ainda não temos esse desenho definido", disse. Segundo o ministro, boa parte das famílias desalojadas pelo rompimento das barragens da Samarco já estão instaladas temporariamente ou definitivamente em casas alugadas pela empresa. "Essa parte está bem coberta", afirmou.

Pimentel disse ainda que problemas de abastecimento de água também devem ser totalmente superados até o fim da semana. "O município mais afetado que foi Governador Valadares já teve abastecimento restabelecido, ainda faltam três ou quatro", disse, afirmando que o governo está levando água via caminhão-pipa. Segundo o governador, dos 35 municípios banhados pelo Rio Doce, cerca de oito ou nove captavam água para abastecimento urbano diretamente do rio.