A segunda colocação nas pesquisas de intenção de voto ao governo de Minas parece não abalar a confiança de Fernando Pimentel (PT) em se reeleger para mais um mandato no Palácio da Liberdade.

No levantamento divulgado pelo Datafolha, na última sexta-feira (28), o petista aparece com 24% contra 33% de Antonio Anastasia (PSDB).

Antes de cumprir uma agenda de governo, nesta segunda-feira (1º), no Aeroporto da Pampulha, Pimentel comentou sobre a possibilidade do adversário vencer ainda no primeiro turno, e fez uma previsão otimista para o desfecho das eleições no Estado.

“Eu acho que vai haver segundo turno. Não estou acompanhando a disputa numericamente, mas tudo indica que vai ter segundo turno. Estou confiante que a população vai votar agora, e depois, no segundo turno, vai fazer um voto mais qualitativo. Como se diz no futebol, o bom é ganhar de virada. A virada vai vir”, projetou Pimentel. 

O governador também revelou qual vai ser a estratégia de campanha na semana que antecede o pleito.

“Vamos intensificar as redes sociais, porque a televisão termina daqui a alguns dias. Também vamos continuar investindo nos contatos com a população, mais na Região Metropolitana, nas cidades mais próximas, porque é uma campanha de curto espaço de tempo e de curtos recursos”.

Proximidade com Haddad

A campanha de Pimentel ao governo faz parte da mobilização que o PT fará em Minas, nesta semana, em torno da candidatura de Fernando Haddad (PT) à Presidência da República. O partido planeja fazer 120 carreatas em todo o Estado, sendo nove em Belo Horizonte, até o domingo.

Além de consolidar o crescimento de Haddad no Estado, a intenção do partido é alavancar a candidatura de Pimentel, aproveitando também a boa aceitação de Dilma Rousseff, que concorre a uma cadeira no Senado.

“Nossa campanha é a campanha do 13. Minas Gerais inteira conhece. Não tenho necessidade de intensificar isso. Agora, também não escondo os apoios, amizades e ligações que tenho, ao contrário de outros candidatos, que parecem que tem vergonha daqueles que patrocinaram a sua trajetória política. Eu tenho muito orgulho de ter o companheiro Fernando Haddad, a Dilma Rousseff e ter o ex-presidente Lula como uma referência política”, comentou Pimentel.