A polícia turca usou canhões de água e gás lacrimogêneo contra manifestantes do orgulho gay que tentam se reunir na praça central de Istambul neste domingo (28), forçando os milhares de participantes a se reunir várias quadras distantes. Duas pessoas ficaram feridas, de acordo com a agência de notícias Dogan.

Entre 100 e 200 manifestantes foram expulsos da Praça Taksim quando começaram a se reunir no final da tarde. Um repórter da Associated Press no local acabou inalando gás lacrimogêneo, mas não houve qualquer nova tentativa pela polícia para interferir no protesto. Em torno do anoitecer, as manifestações se encerraram, já que muitos participantes se direcionaram a bares locais para comemorar.

Os organizadores disseram em um comunicado que a autoridade local impediu a aglomeração em Taksim, um ponto tradicional para protestos, porque o evento coincidiu com o mês sagrado muçulmano do Ramadã.

A Turquia não é contra a homossexualidade, embora a homofobia continue a ser um problema generalizado.