A Justiça da comarca de Guaxupé, no Sul de Minas, pode decidir nesta quinta-feira (11) se acata ou não o pedido de afastamento de 12 dos 13 vereadores da cidade, todos eles acusados de desvio de verbas a partir de diárias de viagens. O Ministério Público Estadual (MPE) solicitou uma liminar na qual justifica a urgência para apreciação da decisão.

Conforme o Hoje em Dia mostrou em 6 de fevereiro, o Instituto Mineiro de Vereadores, também conhecido como Inove – Treinamento em Desenvolvimento Ltda., está no centro das apurações do MPE.

A firma, que possui capital social de R$ 10 mil e tem como sócios o irmão e a mãe do presidente da Câmara de Alfenas, Enéias Rezende (PRTB), oferece semanalmente cursos de capacitação nas dependências do Serrana Palace Hotel, no Centro de BH, próximo ao Mercado Central.

Na denúncia contra os parlamentares de Guaxupé, o MPE local pede que a Coordenadoria das Promotorias Criminais em Belo Horizonte abra investigação contra a empresa em todo Estado alegando que vereadores de outras cidades estariam justificando deslocamentos para os cursos promovidos pela Inove.

A firma está registrada em nome da mãe e do irmão do presidente da Câmara de Alfenas, Enéias Resende (PRTB). Em entrevista, Denilson de Resende nega qualquer irregularidade, assim como o vereador Enéias.