Aécio Neves: alternativa mineira aos insatisfeitos com o modelo PT

Bruno Moreno - Hoje em Dia
06/10/2014 às 08:03.
Atualizado em 18/11/2021 às 04:29
 (Samuel Costa)

(Samuel Costa)

De perfil conciliador e austero, como seu avô Tancredo Neves, o senador Aécio Neves (PSDB), 54 anos, é um dos expoentes da geração política pós-ditadura, assim como foi Eduardo Campos (PSB). A convivência com o avô moldou seu caráter e sua vida política.

Em 1985, após se formar em Economia pela PUC Minas, Aécio começa a carreira política como secretário do avô. Tancredo é eleito o primeiro presidente civil pós-64, ainda pelo colégio eleitoral da ditadura, mas morre antes de assumir o cargo. No pleito seguinte, Aécio é eleito deputado federal constituinte.

No início da década de 90, filia-se ao PSDB e conquista um segundo mandato na Câmara dos Deputados. Na sequência, tenta se eleger prefeito de Belo Horizonte, mas é superado por Patrus Ananias (PT). Retorna a Brasília, onde permanece até 2002, quando se lança candidato ao governo do Estado.


Contas Públicas

Eleito e reeleito no primeiro turno, seus mandatos foram marcados pelo “choque de gestão”, programa que se tornou referência em administração pública no país.

A proposta era reorganizar o Estado e sanear as contas públicas, para que fosse possível investir e aprimorar a prestação de serviços públicos. Uma medida simbólica foi a redução em 50% de seu salário.
Em 2010, tentou ser o indicado à disputa presidencial, mas o PSDB paulista o queria como vice-candidato de José Serra, o que ele não aceitou. Decidiu disputar uma vaga ao Senado e foi eleito com 7,5 milhões de votos.

Dentre suas principais bandeiras, Aécio defende uma efetiva ação ética no serviço público; a elaboração de um novo pacto federativo; o fortalecimento da ação parlamentar, com a restrição ao uso das medidas provisórias; a redução de impostos; a ampliação dos direitos dos trabalhadores domésticos; o direcionamento de 10% da receita do governo federal para a área de saúde e mudança no cálculo de pagamento dos royalties da mineração.

Aécio reafirmou em sua campanha que se preparou durante toda a vida para governar o Brasil. No ano passado, assumiu a presidência do PSDB, com mais de 97% dos votos do partido.
Contra as restrições impostas pelos paulistas do PSDB, Aécio contou com o apoio de Fernando Henrique Cardoso à sua candidatura.

 

Choque de gestão credenciou o candidato

A principal marca da gestão de Aécio Neves em Minas Gerais é o “choque de gestão”. O programa que o tucano implantou visava gastar menos com o governo para poder ter mais recursos para investimento em saúde, educação, segurança, infraestrutura, meio ambiente e geração de emprego e renda.

Lançado no início de seu mandato, em 2003, o choque de gestão alçou status de principal referência em administração pública no Brasil.

Desde meados da década de 1990, as contas públicas de Minas Gerais fechavam no vermelho e a previsão para aquele ano era de um déficit de R$ 2,3 bilhões.

Dentre as medidas adotadas por Aécio, destaca-se a redução do número de secretarias de Estado (de 21 para 15); a extinção de cerca de três mil cargos; a redução de salários; auditorias; o rigor no controle dos gastos públicos; e a adoção em larga escala do pregão eletrônico.

Ao mesmo tempo, Aécio apresentou 57 projetos estruturadores do desenvolvimento de Minas, controlados em 11 áreas de resultados.

Com isso, um dos principais resultados foi o equilíbrio entre despesa e receita, o “déficit zero”, em 2004.

Essa forma de governar fez com que Aécio se credenciasse à disputa para a Presidência da República. Em 2010, seu partido escolheu José Serra (PSDB), mas em 2014 foi escolhido para representar um projeto de contraposição ao governo petista.

Perfil

Aécio Neves
Partido: PSDB

Coligação: Muda Brasil (PSDB, PMN, DEM, PEN, SD, PTB, PTC, PTdoB, PTN)
Data de nascimento: 10/3/1960
Naturalidade: Belo Horizonte
Profissão: Economista
Principais cargos: Deputado federal (1987/2002); governador de Minas (2003/2010); senador (desde 2011); presidente nacional do PSDB (desde maio de 2013)

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por