O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta quarta-feira (11) que o parecer da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), que libera o governo para contratar a Técnica Construções, subsidiária da Delta, para obras do Estado, será seguido "rigorosamente". "Não li o parecer, mas vamos seguir rigorosamente a orientação jurídica da PGE", disse, após participar de cerimônia que deu início ao trabalho de escavação com tatuzão da linha 5 - Lilás do Metrô. A Delta, que pertence ao empresário Fernando Cavendish, foi impedida de participar de licitações do governo federal ao ser declarada inidônea pela Controladoria-Geral da União.

A Técnica apresentou a melhor proposta para uma obra de R$ 60 milhões na rodovia SP-304 no Estado de São Paulo e integra um consórcio que se classificou em primeiro lugar na licitação de uma Parceria Público Privada (PPP) de R$ 3,8 bilhões para a construção de piscinões.

Para o governador, o importante em casos como este é atender ao interesse público. "O que interessa a quem contrata, (caso a empresa esteja) atendendo aos requisitos do contrato, é contratar o menor preço e não o maior", disse, mencionando que a Técnica ofereceu preços que eram "disparadamente" mais baixos que aqueles das suas concorrentes.