Ações de fiscalização, votação de matérias importantes, além da instalação de comissões extraordinárias, marcam os 100 dias de trabalho neste ano na Assebleia Legislativa de Minas Gerais (Almg). Ao todo, foram realizadas nesse período 398 reuniões de comissões, sendo que 64 delas foram audiências públicas, com participação da sociedade. Temas polêmicos, como a reforma administrativa e o orçamento, foram apreciados e votados pelos deputados.
 
“É importante destacar o rendimento da Casa na votação dessas matérias de extrema relevância para a organização do Estado, em benefício de toda a sociedade e que exigiram um esforço redobrado de articulação, num ambiente político até então pouco favorável”, avalia o presidente da Assembleia, Adalclever Lopes (PMDB).
 
Outro ponto a ser destacado é a votação em primeiro turno do projeto que reajusta os salários dos professores. “Isso demonstrou a capacidade dos parlamentares de se dedicarem na busca de soluções consensuais, para melhorar a vida das pessoas”, afirma o deputado.
 
Até agora foram aprovados 102 pareceres sobre proposições que tramitam na Assembleia, das quais 21 já estão em condições de serem votadas em Plenário. Os deputados estaduais também aprovaram outras oito proposições nesses primeiros 100 dias, período marcado ainda pela estréia de uma nova administração estadual e de uma nova legislatura no Parlamento mineiro.
 
Entre outros assuntos, foram debatidos o desemprego, segurança pública, direitos humanos, combate ao uso de drogas, crise hídrica e direitos dos animais. Esses dois últimos temas também mereceram a instalação de comissões extraordinárias na Casa.
 
“O fato de estarmos satisfeitos, impõe, por outro lado, o desafio de superar esses números, na sequência do nosso trabalho, em termos de qualidade e efetividade”, lembra o presidente.