O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, saiu nesta sexta-feira (6), em defesa do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e disse que, como ele "sequer foi denunciado", não é possível falar em "acusações". "O que tem são ilações e tentativas de consolidar verdades antes da hora", afirmou Berzoini, ao chegar no hotel na capital mineira em que acontece a reunião do diretório nacional do partido.

Vaccari participa neste momento do encontro do diretório petista. Ele foi apontado na delação premiada do ex-gerente de Serviços da Petrobras, Pedro Barusco, como o responsável por ter arrecadado até US$ 200 milhões em propina para o PT, entre 2003 e 2013. Vaccari teve de prestar depoimento ontem à Polícia Federal, em São Paulo. Por meio de sua defesa, ele negou as afirmações de Barusco.

Questionado se Vaccari deveria ser afastado preventivamente da tesouraria da legenda para evitar um desgaste ainda maior para o PT, Berzoini disse que o tema precisa ser encarado com "serenidade" e "tranquilidade". "Acho que o PT já tem maturidade que saber que essa luta política muitas vezes travestida de jurídica tem que ser encarada com serenidade e tranquilidade", concluiu.