O plenário da Câmara rejeitou a aprovação um destaque apresentado pelo Solidariedade à Medida Provisória 665 que tentava restabelecer o prazo de 30 dias para que os trabalhadores tenham direito a receber o abono salarial.

Os deputados mantiveram o texto aprovado pela comissão mista que reduziu o prazo para receber o abono, passando a exigir três meses de trabalho. Originalmente, a MP enviada pelo previa que esse prazo seria de seis meses. O destaque foi rejeitado por 247 votos a favor, 220 contra e quatro abstenções.

Anteriormente, os deputados haviam aprovado o texto base da MP 665. O texto passou por 252 votos a favor, 227 contra e uma abstenção.

Ainda hoje será votado um último destaque e a votação deverá ser concluída amanhã (7).